segunda-feira, 23 de novembro de 2009

É preciso redefinir todo o conceito de saudade.

Ou inventar uma palavra nova, que dê conta de tudo o que eu sinto neste momento.

Não é só a ausência dele. É também a ausência de mim mesma. Minha estrada, que ele vai delineando a giz no chão, desbotou tanto que não leva mais a lugar nenhum.

Não é só a falta que ele me faz, mas a falta que o mundo todo faz quando ele não está por perto para dar um sentido maior a todas as coisas. O livro da vida tem uma página em branco para cada dia que não posso olhar bem fundo naqueles olhos fundos. Cheios de vida pulsando por dentro, transbordando em mim e se derramando sobre o branco de outrora.

Sobrevivência.

Vida assim tão pela metade, que nem merece o nome que aqui lhe dou.

3 comentários:

  1. Cada vez mais lírica e apaixonada *8)
    Lindo texto.

    ResponderExcluir
  2. Apaixonadíssima! :)

    Érica, atualiza o endereço do meu blog! quandoelaescreve.blogspot.com

    Beijos!

    ResponderExcluir